Vivendo as alegrias,as satisfações,as confusões de ser mãe de quatro lindos filhos!

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Dividindo atenções

Cheguei da maternidade com Fernanda no dia em que Driele estava fazendo um aninho, ela mal sabia andar e quando me viu abriu logo os bracinhos para que eu a carregasse, só que eu infelizmente não podia, eu queria mais não podia, estava operada...por mas que explicasse ela não entenderia, ela olhava pra mim, me via com um bebê no colo mas porque eu não a carregava? eu chorava muito, e confesso a vocês que por algumas vezes quando ninguém estava olhando a pegava no colo!!!

Eu tinha pena dela por não poder carrega-la, mas a minha preucupação maior era que tipo de sentimento ela teria por aquele bebê? por isso tudo que fazia com Fernanda explicava pra ela, dizia que tudo aquilo fiz com ela também, quando ela era um bebezinho...ela me olhava atentamente parecia até que estava entendendo.

Nunca proibir que ela se aproximasse da irmã, sempre deixei que ela fizesse carinho, beijasse, e muitas vezes fingia que colocava Fernanda no colo dela para ela segurar.Sempre pedindo que ela me "ajudasse", pegar uma fralda, passar o perfume, alguma coisa bem fácil pra ela ter o contato com a irmã junto comigo! Não deixei de fazer nada pra Driele, dava o mingau, o banho e colocava pra dormir, com isso evitei que ela sentisse ciúme da irmã e continuei dando a atenção que ela precisava.

Quando tive Magninho, Driele estava com 10 anos e Fernanda com 09, agir da mesma maneira, sempre explicando: " quando vocês eram pequenas eu fazia a mesma coisa com vocês", e da mesma maneira pedia que elas me ajudassem com ele...e assim foi com o Miguel! Sempre quis eles muito próximos uns dos outros.

Me dividi em mil para dar atenção a todos na mesma proporção, mas é claro que sempre o bebê da vez era o que precisava mas de mim, só que eu tinha muito medo que eles achassem que eu gostava mais de um do que o outro, por isso fazia todo o esforço possível para que nenhum deixasse de me ter por perto.E até hoje me divido pra que todos tenham a mesma atenção, mas mesmo com todo esse esforço acreditem eu ainda ouço: " você gosta mais dele do que de mim".

Nunca comprei uma bala pra um e não comprar pra o outro (mesmo hoje que as meninas estão grandes), quantas vezes estou na rua vejo alguma coisa que me lembre um deles, bate aquela vontade de comprar mais ai desisto, não posso chegar em casa com presente pra um, e os outros?

Evito o maximooooo fazer comparações, jamais digo: "olha como seu irmão faz melhor que você", " seu irmão sabe mais que você", " seu irmão de mais inteligente que você", se um deles é melhor que o outro em alguma coisa, incentivo para que aquele que não é tão bom se esforce mais, para que consiga também, ou mostro que ele é bom com outras coisas!!

Talvez por causa dessas coisas que eles sejam tão unidos assim,  não precisam brigar por atenção, apesar de me virar em mil como já disse, dou ou pelo menos tento dá a mesma atenção a todos, de vez em quando pinta um ciuminho, mas nada demais, nada que uma boa conversa não resolva!!

Não sou a mãe perfeita apenas o instinto me leva a agir assim, por enquanto está dando certo, e assim vou eu com os quatro!!!